Bem-vindo ao SoQuadrinhos, por favor, efetue Login ou Crie uma conta para ter acesso total aos fóruns. Se tiver algum problema, Entre em Contato.
 
Avaliação do Tópico:
  • 0 Votos - 0 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Dossiê X-Men: equipes Azul e Dourada

Offline fabio_br Postado: 19-04-2017 - 01:47 PM
Resposta: #1
Na mosca!
Administradores
1,905 Respostas
Reputação: 43
Se você é fã dos X-Men dos anos 90, é bem capaz que a combinação de cores azul e dourado te traga muitas lembranças. Não é à toa que o lançamento das novas revistas "X-Men Azul" e "X-Men Dourado" causaram entusiasmo entre os fãs. Essas duas equipes não se tratam apenas de dois grupos de heróis uniformizados, elas são a lembrança de uma época específica — e muito popular — na história dos X-Men.

Essa é uma época que não é referenciada faz um bom tempo e que fez parte do “boom” de vendas mutantes nos anos 90, encabeçada por nomes como Jim Lee e Rob Liefeld. Se você está coçando a cabeça e se perguntando do que se tratam essas equipes, eis aqui um compilado dessa fase — uma história que, de certo ponto de vista, começou em 1975.

Um Problema Gigante



Capa de X-Men Gigante #1.

A Mansão X foi o lar de dezenas — senão de centenas — de mutantes ao longo desses mais de 50 anos de histórias mutantes. Durante sua primeira década, entretanto, os X-Men possuíam um rol de integrantes surpreendentemente estável e incomumente pequeno. Nos primórdios dos anos 60, a equipe consistia de cinco mutantes: Ciclope, Garota Marvel (Jean Grey), Anjo, Homem de Gelo e Fera. O Professor X agia como mentor, Mímico se juntou ao grupo por uma ou duas edições, e eles eram casualmente assistidos por Destrutor e Polaris. A equipe nunca chegou na casa das dezenas quando o assunto era membros.

Isso tudo mudou em 1975 com “X-Men Gigante” #1. Nesse ponto dos anos 70, novas edições de “X-Men” haviam sido canceladas e a revista existia abaixo do radar através de republicações bimensais. “X-Men Gigante” serviu como um relançamento da franquia, voltando com uma equipe de mutantes totalmente nova e diferente. Wolverine, Tempestade, Noturno, Colossus, Banshee, Solaris e Pássaro Trovejante se juntaram a equipe, ainda liderados por Ciclope. Sua missão: viajar até a mortal ilha Krakoa para resgatar o resto dos X-Men sequestrados (Anjo, Homem de Gelo, Garota Marvel, Destrutor e Polaris). A edição terminou com mais X-Men do que nunca, todos reunidos no cockpit do Jato-X. Anjo fez uma pergunta que seria respondida mais tarde no decorrer da franquia: “O que vamos fazer com treze X-Men?”

Anjo fazendo a pergunta de um milhão de dólares!

Essa teria sido uma excelente deixa para lançar duas revistas dos X-Men — onde a franquia começou a ficar remotamente popular. O relançamento foi bem-sucedido o suficiente para fazerem novas edições dos “X-Men”, mas somente a cada dois meses. Ao invés de lançarem duas revistas-X em 1975, metade desses personagens foram removidos. O cabeça quente Solaris foi embora, Destrutor e Polaris voltaram a seus estudos, Homem de Gelo e Anjo se mudaram e o Pássaro Trovejante foi morto em ação logo na próxima missão da equipe. A Garota Marvel se afastou por um breve período de tempo, mas seu relacionamento com Ciclope logo a fez voltar em definitivo, dessa vez sob a alcunha da Fênix.

Família Estendida



Os Novos Mutantes.

Os X-Men funcionariam como uma única equipe de super-heróis pelo resto dos anos 70. A franquia entrou nos anos 80 mais bem-sucedida do que nunca, e uma revista spinoff tinha ganho sinal verde pela Marvel. Mas ao invés de lançarem uma segunda revista dos “X-Men” estrelando ex-membros, a editora optou por uma série focada em um grupo de estudantes adolescentes. “Os Fabulosos X-Men” continuaram ao lado dos “Novos Mutantes”, com o último servindo de contraparte adolescente do primeiro.

A ideia de um spinoff estrelando ex-X-Men só aconteceu em 1986 — embora mais uma vez não tenha sido sob o nome “X-Men.” A revista foi intitulada “X-Factor” e reuniu os cinco X-Men originais (Ciclope, Jean Grey, Homem de Gelo, Anjo e Fera) uma vez que todos eles, em momentos diferentes, haviam saído dos X-Men. Outra revista, a inglesa “Excalibur”, foi lançada em 1988 e contava com um trio de X-Men (Noturno, Kitty Pryde e Rachel Summers) e uma dupla de heróis Britânicos (Meggan e Capitão Bretanha).

X-Factor e Excalibur, expandindo a linha de revistas-X.

Com as revistas-X crescendo consideravelmente nos anos 80, os títulos se separam uns dos outros. “Fabulosos X-Men” estrelava um grupo de personagens de baixa rotatividade, onde heróis eram lentamente inseridos e removidos da revista; ao final dos anos 80, um grupo totalmente novo (Tempestade, Wolverine, Colossus, Vampira, Cristal, Longshot, Psylocke e Destrutor) havia sido criado. Os Novos Mutantes envolviam desde estudantes até seu próprio grupo de super-heróis aventureiros, enquanto o X-Factor havia se tornado figura pública em Manhattan (enquanto não estavam ocupados tendo aventuras em outros planetas. “Excalibur” foi provavelmente o que mais se afastou da franquia, pois além de estarem localizados do outro lado do oceano, ocasionalmente se aventuravam em outros períodos do tempo e dimensões. Essa falta de unidade culminou em “Fabulosos X-Men” #251, de 1989, onde os X-Men simplesmente debandaram.

Nessa mesma época, outra equipe havia surgido dos restos da anterior — mesmo que também na páginas de “Fabulosos X-Men”. E como eles haviam se juntado logo após a equipe principal se dissolver, o problema de um único grupo de X-Men ainda persistia. Essa equipe, composta por mutantes e humanos que moravam no complexo de pesquisas da Ilha Muir na costa da Escócia, estreou em “Fabulosos X-Men” #254.

Surge uma nova equipe, às cinzas da outra.

Esse grupo — composto por membros como Banshee, Polaris, Siryn, Homem Múltiplo, Fortão, Forge, e muitos outros — faria parte dos eventos que levariam à criação das equipes Azul e Dourado.

Encaminhando-se Para o Azul e Dourado



Fabulosos X-Men #273.

Seguindo a dissolução da equipe principal na #251, “Fabulosos X-Men” tornou-se uma espécie de antologia ao acompanhar a vida dos heróis que anteriormente haviam sido X-Men, enquanto estes entravam em novas fases de suas vidas. A equipe permaneceu desfeita até o início dos anos 90 em “Fabulosos X-Men” #270, onde os eventos do “Programa de Extermínio” juntaram todas as equipes mutantes (com exceção de Excalibur) para enfrentar as ameaças do agora ciborgue Cameron Hodge.

Seguindo esses eventos, “Fabulosos X-Men” #273 — numa história intitulada “Mutantes Demais” — sorteou entre vários mutantes os membros de uma equipe unificada de X-Men. O grupo de Tempestade, Wolverine, Psylocke, Jibuleu, Gambit, Forge e Banshee também vestiam trajes azuis e dourados, fazendo referência aos uniformes dos X-Men originais (que eram amarelo/preto ou amarelo/azul dependendo da equipe de arte). Mas apesar de ser a formação mais coerente vista no ano, ela não duraria muito. Os X-Men se encaminhavam para outra grande reviravolta, conforme entravam na era Azul/Dourada.

Uma formação interessante, mas que durou muito pouco.

A “Saga da Ilha Muir” em 1991 reuniu vários mutantes para lutar contra o mestre manipulador conhecido como Rei das Sombras. Quando a poeira da batalha baixou, a nova equipe de X-Men mais uma vez havia superlotado, sendo agora a vez do professor X se perguntar em “X-Factor” #70, “O que eu vou fazer com catorze X-Men?”

Professor X refazendo a pergunta de um milhão de dólares!

Os heróis contemplados na figura acima são: Professor X e Fera (sentado); Fortão (ao fundo); Vampira, Colossus, Gambit, Polaris e Jubileu (meio); e Wolverine (agachado na frente, como sempre). Não estão na imagem, mas também escolhidos por Xavier: Jean Grey, Ciclope, Homem de Gelo, Arcanjo, Tempestade e Homem Múltiplo. E sim, agora são quinze X-Men e Xavier.

Pela primeira vez, 16 anos depois de pedirem pela primeira vez, a resposta para a pergunta de “O que fazer com tantos X-Men” finalmente era respondida com uma segunda equipe de X-Men!

A Era Azul/Dourada



X-Men #1, do famigerado Jim Lee!

A iniciativa “Gênese Mutante” de 1991 resultou em mudanças na linha de revistas-X. Os Novos Mutantes, agora sob a tutela do militar Cable, cortam lanços com os X-Men e passam a se chamar X-Force. Destrutor e Polaris assumem o controle do “X-Factor”, em sua transição para uma super-equipe sancionada pelo governo estrelada por mutantes menos conhecidos (Homem Múltiplo, Fortão, Lupina). Desde os X-Men originais, as antigas estrelas do “X-Factor” finalmente voltavam às suas raízes, em uma nova revista dos X-Men que acomodava a maior formação vista até então.

Uma nova revista, simplesmente intitulada “X-Men”, estrelaria a equipe Azul enquanto “Fabulosos X-Men” ficaria com a equipe Dourada. “X-Men #1” de Chris Claremont e Jim lee introduziu a equipe Azul, formada por novos e sombrios personagens, todos liderados por Ciclope. O grupo era composto por Ciclope, Fera, Wolverine, Vampira, Psylocke e Gambit. A missão inaugural os colocou contra os Acólitos de Magneto.

A equipe Azul.

“Fabulosos X-Men” #281 de Whilce Portacio, Jim Lee e John Byrne introduzia a Equipe Dourada, um grupo de X-Men mais experientes dos anos 60 e 70. Jean Grey, Homem de Gelo, Arcanjo e Colossus compunham a formação liderada por Tempestade. Eles estrearam enfrentando o criminoso viajante do tempo Fitzroy e uma frota de Sentinelas.

A equipe Dourada.

Embora todos os X-Men morassem na Mansão X, as duas equipes operavam independentes e realizavam missões separadas. A equipe Dourada lutou contra o místico Triunvirato enquanto a Azul enfrentou o super-soldado russo Ômega Vermelho. O grupo de Tempestade lidou com o irmão de Colossus capaz de alterar a realidade e os Morlocks, enquanto os X-Men de Ciclope viajaram até Nova Orleans para lutar contra assassinos, ladrões e alienígenas. Ambas as equipes recrutaram novos membros: a aspirante a heroína Jubileu entrou para a equipe Azul em “X-Men” #4 e o policial viajante do tempo Bishop se alistou para a equipe Dourada em “Fabulosos X-Men” #287. A duble de corpo de Psylocke, Revanche (é uma longa história — longa demais pra ser contada hoje) também juntou-se a equipe Azul por um breve período, começando em “X-Men” #21.

Em 1993, as equipes começaram a emprestar membros para missões específicas. Colossus acompanhou a equipe Azul durante uma missão na Rússia em “X-Men” #17, e Gambit, Wolverine e Ciclope se juntaram com a equipe Dourada para lutar contra os Acólitos de Magneto em “Fabulosos X-Men” #298 e #300. Como já havia acontecido antes, crossovers começavam a borrar a linha entre as duas equipes, dessa vez afetando Azul de Dourado. Colossus deixou os X-Men durante os eventos de “Atrações Fatais”, e Wolverine quase morreu depois que Magneto arrancou o adamantium de seu corpo. Ao término de “Atrações Fatais”, membros de cada equipe começaram a aparecer em outras revistas; Jean Grey lutou contra Dentes-de-Sabre em “X-Men” enquanto Vampira e mais tarde Gambit se juntaram com a equipe Dourada para enfrentar a raça alienígena Falange. Em meados de 1994, a única coisa que realmente diferenciava “Fabulosos” de “X-Men” eram os créditos dos artistas ao canto das capas de cada revista — coisa que também logo iria mudar.

Eles São Todos X-Men



X-Men #200.

Depois de “Aliança da Falange”, o maior crossover de 1994, as equipes Dourada e Azul silenciosamente se aposentaram. Depois de três anos de coexistência, “X-Men” e “Fabulosos X-Men” transformaram-se em duas revistas estrelando uma equipe com uma dúzia de integrantes. Essa era, onde as histórias e personagens iam e vinham entre os dois títulos, começou em Novembro de 1994 com “Fabulosos X-Men” #318 e “X-Men” #38 e perduraria por mais quatro anos. “Fabulosos X-Men” #360 e “X-Men” #80, ambas de 1998, aparariam a equipe para um número mais manejável de integrantes — e esse novo grupo de oito pessoas (Tempestade, Colossus, Wolverine, Noturno, Kitty Pryde, Vampira, Gambit e Medula) estrearia nas duas revistas.

Conforme as edições avançavam, tornava-se mais claro que as designações de cores haviam sido deixadas para trás no começo dos anos 90. Cada vez mais revistas começavam a incluir “X-Men” em seus títulos, mas as equipes em si agora eram separadas por adjetivos ao invés de cores. “Novos X-Men”, “Surpreendentes X-Men”, “X-Treme X-Men” “Jovens X-Men”, “Wolverine e os X-Men”, “Novíssimos X-Men”, “X-Men Legado, “Extraordinários X-Men” e “Espantosos X-Men” foram adicionados à franquia, geralmente em adição a “Fabulosos X-Men” e “X-Men”. Na maioria das vezes, todos esses termos fariam referência a si mesmos somente como “os X-Men.” Embora houvesse uma resistência em ter várias equipes de X-Men nos anos 70 e 80, isso definitivamente caiu por terra com a chegada dos anos 90 e 2000.

Essa é sem sombra de dúvidas a era em que vivemos agora, com as equipes de “Extraordinários X-Men” e “Novíssimos X-Men” chamando a si mesmos apenas de “os X-Men.” A equipe de Tempestade com base no Limbo é basicamente equivalente à força-tarefa que Magneto chefia e ao grupo de adolescentes do passado. Com a chegada de ResurrXion, a franquia retorna a estrutura de nomenclatura vista 23 anos atrás. Daqui a algumas semanas, seremos uma vez mais X-Men Azul e X-Men Dourado.

Texto adaptado de: http://www.cbr.com/x-men-team-history-fo...blue-gold/
(Resposta editada pela última vez em: 19-04-2017 01:55 PM por fabio_br.)

Imagem
Voltar ao topo Buscar Citar
Offline Rodrigo-D Postado: 19-04-2017 - 04:02 PM
Resposta: #2
Doador
Doadores
22 Respostas
Reputação: 1
Nossa, bons tempos, aprendi a ler praticamente nessa hqs em 1993...
parabéns pelo post, muito bom!!!
Voltar ao topo Buscar Citar
Offline hpfil Postado: 20-04-2017 - 10:46 AM
Resposta: #3
Produtor
Produtores
38 Respostas
Reputação: 0
Apesar dos aos 80 terem ótimas histórias X, acho que os anos 90 foi o ápice da franquia, trazendo visuais que ficaram imortalizados (por conta do desenho, dos jogos e tudo mais), além dessa rivalidade das equipes e colocar os fãs para torcer de verdade, algo que se perdeu depois e hoje quase ninguém se importa.
Voltar ao topo Buscar Citar


Ir ao Fórum:

Usuários navegando neste tópico
4 Visitantes

© 2007-2012 SoQuadrinhos

Página desenvolvida por Knight Rider