Bem-vindo ao SoQuadrinhos, por favor, efetue Login ou Crie uma conta para ter acesso total aos fóruns. Se tiver algum problema, Entre em Contato.

Detalhes
Nome : Yoda
Nome Original : Yoda
Ident. Civil : Yoda
Alcunhas : Grande Mestre Jedi da Ordem Jedi
Editora : Outras Editoras
Naturalidade : Desconhecido
Ocupação : Grande Mestre Jedi da Ordem Jedi
Resposta: #1
Yoda (Star Wars)

"Aliada minha é a Força. E poderosa aliada ela é."


―Grande Mestre Yoda



Yoda foi um dos mais famosos e poderosos Mestres Jedi na história galáctica . Ele era conhecido por sua lendária sabedoria, mestria de Força e habilidades no combate de sabre de luz. Yoda serviu como um membro do Alto Conselho Jedi nos últimos séculos da República Galáctica e foi o Grão-Mestre da Ordem Jedi, antes, durante e após as devastadoras Guerras Clônicas. Após a Primeira Batalha de Geonosis, Yoda detinha o título de Mestre da Ordem, além de Grão-Mestre. Em seus séculos de serviço para a galáxia e da Força, o Grão-Mestre Yoda participou na formação de quase todos os Jedi da Ordem, incluindo Obi-Wan Kenobi, Ki-Adi-Mundi e Oppo Rancisis, todos quem viriam a servir no Conselho Jedi junto de Yoda.
Tendo cerca de 66 cm de altura, Yoda era membro de uma das espécies mas misteriosas do Universo de Star Wars, cujos detalhes não foram revelados até hoje. Yoda serviu como um membro da Ordem Jedi durante séculos, acabou ganhando um lugar no Alto Conselho Jedi e depois se tornou o Grão-Mestre dos Jedi. Ele tinha excepcionais habilidades no combate de sabre de luz, mais comumente empregando o Estilo IV: Ataru (pra saber mais sobre as formas de combate com sabre de luz, leia esse tópico). Yoda era um mestre de todos os estilos.

Embora indiscutivelmente o maior mestre da Ordem da Força e um dos mais habilidosos guerreiros Jedi, Yoda acreditava mais firmemente na importância de instruir as gerações mais jovens e nunca perdeu uma oportunidade de garantir a seus alunos a aprender a partir de suas experiências. No fundo, o diminuto Mestre Jedi era um professor, na verdade, ele instruiu quase todos os Jedi na ordem, até certo ponto, durante o seu cargo de Grão-Mestre.

Apesar de que Yoda foi sem dúvida, o Jedi mais altamente sintonizado com a Força, ele não foi impecável. Foi em parte devido à sua incapacidade de reconhecer que o Supremo Chanceler Palpatine era realmente o grande responsável pela eclosão da Guerra dos Clones, e era de fato o Lorde Sith Darth Sidious, que levou à República a ser derrubado e a Ordem Jedi ser dizimada. O Grão-Mestre foi um dos poucos Jedi que sobreviveu ao Purgo ordenado pelo Imperador Palpatine, após o início do Purgo, ele foi para o exílio no planeta pantanoso de Dagobah.

Mais tarde, antes de morrer e se tornar um com a Força em 4 DBY, o exilado Mestre Jedi foi responsável pela instrução de Luke Skywalker, que usaria o treinamento de Yoda, como base para a criação de uma Nova Ordem Jedi, depois de derrotar os Sith. Depois de sua morte, Mestre Yoda manteve sua identidade dentro da Força e foi reverenciado como um dos mais lendários Mestres Jedi de todos os tempos pela Ordem Jedi reconstituída por Skywalker.

Biografia



Início da vida



Muito pouco se sabe sobre a vida de Yoda. Ele era de um planeta remoto, mas qual ainda permanece um mistério. De acordo com uma lenda, Yoda originalmente não sabia que ele era mais sensível a força que todos. Seu caminho para o Jedi começou quando ele deixou sua casa no seu planeta em uma velha nave junto com um amigo, para procurar emprego. No entanto, muito antes que eles pudessem chegar ao seu destino, a nave foi atingido por um grande asteróide, fazendo com que a nave fica-se gravemente incapacitada além da possibilidade de reparo. Eles passaram vários dias à deriva no espaço durante o qual ambos os sistemas de suporte à vida e rações chegaram perto de ser esgotar, e ainda não havia uma resposta ao seu pedido de socorro. Parecia que eles logo morreriam até que seus sensores captaram um sistema estelar não muito longe. Eles tinham capacidade suficiente para chegar lá, e chegando o planeta era pantanoso coberto com uma densa neblina.
Eles passaram alguns dias lá antes de ser encontrado por um ser estranho o Mestre Jedi N'Kata Del Gormo, que revelou a ambos que eles eram muito sensíveis a Forca. O Mestre Jedi convidou Yoda para ser seu aprendiz. Mestre Gormo o levou para sua casa, onde ele treinou nos caminhos da Força e não muito tempo depois de sua formação estava completa, a República Galáctica pegou o sinal de socorro de sua nave e resgatou os dois amigos, que agora eram Jedi. Partindo Yoda foi para Coruscantpara conhecer melhor esse planeta, veja esse tópico), onde ele continuou a sua formação no Templo Jedi. Com o tempo, ele provou ser um Jedi qualificado.

Mestre Jedi



"Por oitocentos anos treinei eu Jedi. A mim decidir cabe quem treinado deve ser. Um Jedi precisa ter o profundo compromisso. Uma mente séria."
―Yoda para Luke Skywalker



Quando Yoda tinha completado a sua formação Padawan, tornou-se um Cavaleiro Jedi, o que significa que ele poderia ir em missões importantes. Com a idade de 96 anos, ele se tornou um Mestre Jedi. Mais tarde, ele foi eleito para participar do Alto Conselho Jedi. Em 800 ABY, Yoda tinha começado a formação de seu primeiro aluno, que seria um dos muitos Padawans que Yoda iria treinar ao longo dos longos séculos de sua vida.

Mais tarde, Yoda se tornou um dos Mestres Jedi que lideraram a academia móvel a bordo da nave estelar Chu'unthor , que foi construída cerca de 500 ABY. Após a aterrissagem forçada no planeta de Dathomir cem anos mais tarde, Yoda e outros Jedi lutaram com as famosas bruxas de Dathomir. Chegando a um beco sem saída, ele concordou em deixar fitas de dados da nave. Embora tenha deixado nenhum meio de leitura das fitas, que foram concedidos a Rell do Clã Montanha Cantar para a custódia até tal hora, Yoda previu, quando um Jedi viria para salvar o planeta da escuridão e a informação poderia ser seguramente compartilhada com o bruxas. Isso não aconteceu até por volta de 8 ABY , quando estudante do último do Yoda, Luke Skywalker, iria encontrar o seu caminho para Dathomir, cumprindo a profecia de seu Mestre.
Em 482 ABY, Yoda viajou para Kushibah em busca de um novo Padawan. O Mestre Jedi descobriram o jovem Ikrit, que se mostrou forte na Força, e o levou para ser treinado como um Jedi. Por volta de 400 ABY, quando Beldorion deixou a Ordem Jedi, Yoda poderia ser considerado um dos maiores mestres da história do Jedi, comparáveis ​​com Nomi Sunrider ou Thon, que viveram mais de 3.500 anos antes.

Por 200 ABY, Yoda, juntamente com outros Mestres Jedi desse tempo, descobriu que a forma da força tinha começado ao fluxo, tornando-se turva e incerta. Estudar o mistério desconcertante em meditação silenciosa, o Alto Conselho Jedi, Yoda de que agora era um membro sênior, foi unânime, o poder do lado negro estava crescendo. Enquanto o Conselho e os outros Jedi acreditavam que este indicava o poder crescente dos Sith, Yoda, estendendo a possibilidade de que o escurecimento da Força pode sugerir a aproximação iminente do Escolhido, que a profecia disse que iria trazer equilíbrio para a força. Em oposição a esta teoria, vários dos jovens Jedi discordaram dos resultados de Yoda, e formaram uma seita dissidente. Sua heresia não foi bem recebida pelo Conselho, e Yoda liderou a campanha para expulsá-los da ordem de 130 ABY.

Em 171 ABY, Yoda viajou para Ord Cestus e salvou o nativo X'Ting do desastre. Eles honraram Yoda através da construção de uma estátua gigante dele, com mais de 70 metros de altura, dentro do Salão X'Ting Of Heroes. Em algum momento entre 133 ABY e 69 ABY, Mestre Yoda tentou ver o futuro de Byrch Dyshkava, um Padawan que havia misteriosamente desaparecido após uma missão. Yoda não conseguiu apresentar a Ordem informações úteis.

Yoda com o Cavaleiro Jedi Dooku
Em 102 ABY uma criança com o nome de Dooku , herdeiro do título de Conde do planeta de Serenno, foi descoberto pelo Jedi e de bom grado dado à Ordem por seus pais. Quando Dooku atingido a idade adequada, ele foi tomado como um Padawan por membros do Conselho Thame Cerulian . No entanto, mesmo que ele estudou com Cerulian, Yoda teve um interesse especial nos jovens Dooku (foi trocado por Dookan na versão dublada em português para evitar trocadilhos) e era frequentemente seu conselheiro e confidente. O Mestre Jedi, no entanto, foi igualmente rápido em apontar falhas de Dooku, quando necessário. Yoda ajudou muito de perto na formação de sabre de luz de Dooku como uma Padawan, e construção a partir desta fundação, Dooku se tornou um duelista realizado com a arma. Nos anos posteriores, de Dooku, só Yoda e o membro sênior do Conselho Mace Windu, foram considerados com habilidades com o sabre de luz iguais a Dooku. Mais tarde, Yoda também atuou como instrutor de sabre de luz de Cin Drallig, que se tornaria o mestre de guerra do Templo Jedi.

Revolta Yinchorri (33 ABY)



Em 33 ABY, o Conselho Jedi recebeu uma transmissão informando de um ataque em Mayvitch 7 instigado pelo Yinchorri. Após a notícia chegar ao Chanceler Supremo Finis Valorum, esse pediu a Mace Windu que envia-se Jedi para negociar com o Yinchorri.
No entanto, os Yinchorris assassinaram os dois Jedi enviados para negociar e enviou seus corpos mutilados à porta de Valorum em Coruscant como um aviso.
Após isso, o Conselho criou uma equipe de ataque Jedi de doze, incluindo o mestre sênior Mace Windu, para o sistema Yinchorri. Relatos de engajamento do Jedi com as forças Yinchorri que chegaram a Yoda e o Conselho se mostraram confusos e contraditórios, enquanto o Mestre Jedi sentiu o perigo que vinha para ele na Force. O sentido de perigo de Yoda provou ser preciso quando o Yinchorri lançou um ataque ao Templo Jedi.
A força-tarefa Yinchorri descobriu que todos os dormitórios Jedi estavam vazios. As tropas, em seguida, entraram em uma câmara, onde eles foram recebidos por vários Jedi, incluindo Yoda. No final, quase todos os Yinchorri foram mortos e dois Jedi morreram: Jude Rozess e Tieren Nie-Tan.
Yoda interrogou o último Yinchorri e pediu-lhe a localização do alto comando Yinchorri. O soldado respondeu ao Mestre Jedi, dizendo-lhe que ele não sabia, pois ele era apenas um soldado comum.
Yoda, em seguida, virou-se para conversar com Logo Baytes, um cavaleiro Jedi que trouxe palavra de Adi Gallia e Koth Eeth que o alto comando não estava na Yitheeth e que eles estavam indo para Yibikkoror para ajudar Plo Koon e Micah Giiett.
Essas distrações deu a Yinchorri no Templo tempo suficiente para pegar sua arma e tentar atirar no Mestre Jedi. Yoda, no entanto, usou a força para jogá-lo contra uma parede, matando-o. O Jedi então chegou à conclusão de que o Yinchorri estavam equivocados ao invés de sanguinário e que o ataque pode ter sido armado por um inimigo desconhecido, ao invés dos Yinchorri.
Após a invasão mal sucedida no Templo Jedi, o time de ataque Jedi continuou a envolver o Yinchorri, enquanto Yoda continuou em Coruscant. Mestre Windu, eventualmente, informou a Yoda, informando-o que a equipe tinha descoberto a localização do alto comando da Yinchorri, graças ao conhecimento do Mestre Yaddle dos holocrons Jedi. Os Jedi liderou um ataque ao mundo, enquanto quatro grupos de ataque da marinha autorizadas pelo Senado chegou para ajudá-los, acabando com a revolta.

Leia essa mini nesse tópico: Star Wars: Jedi Council (2000)

Invasão de Naboo (32 ABY)



Em 32 ABY, o Senado Galáctico aprovou uma legislação que aumentou a tributação das rotas de comércio para sistemas periféricos, em uma tentativa de enfraquecer a constante expansão da Federação do Comércio, que havia crescido cada vez mais poderosa, a ponto de que ela tinha sua própria delegação no Senado e facilmente "convencia" os inspetores da República a ignorar as naves com armamento de guerra letais.

A Federação criou uma força de invasão de dróides de batalha, em protesto contra a legislação do Senado, bloquearam o pequeno mundo de Naboo. A rainha Amidala de Naboo implorou a ajuda da República, e como tal, o Chanceler Supremo Finis Valorum pediu a Yoda e o Conselho Jedi para enviar Jedi para negociar com a Federação do Comércio, como embaixadores da República.
O Conselho enviou o Mestre Jedi Qui-Gon Jinn e seu aprendiz Obi-Wan Kenobi, para negociar com a liderança da Federação do Comércio. No entanto, após a chegada dos Jedi, a Federação tentou assassiná-los e começaram a invadir Naboo, os Jedi foram capazes de escapar e resgataram a Rainha de Naboo, Amidala.

Ao voltar para Coruscant, Qui-Gon Jinn trouxe o jovem Anakin Skywalker ao Conselho Jedi, solicitando a treiná-lo, uma vez que Obi-Wan Kenobi havia completado os estudos necessários para se tornar um Cavaleiro Jedi, pois os Jedi só poderiam ter apenas um aprendiz de cada vez. Yoda, como o professor de muitos dos que estão no Conselho, e seu membro mais venerado e respeitado, desempenhou um papel fundamental na decisão inicial do Conselho de negar o pedido. Yoda acreditava que o menino foi claramente afetado por seus anos como escravo e que ele ainda se agarrava com muita força à memória de sua mãe para ser treinado em segurança. O futuro do menino, pensou Yoda, estava nublado. Qui-Gon Jinn no entanto, continuou a insistir que Skywalker era o Escolhido, que traria equilíbrio à força.

O Retorno dos Sith



Além desse suposto Escolhido, Qui-Gon Jinn trouxe a notícia do retorno dos Sith, enquanto ele e comitiva da rainha estavam se preparando para deixar o planeta de Tatooine, depois de ter sua nave reparada, o que parecia ser um Lorde Sith confrontou o Mestre Jedi em um duelo de sabres de luz.

Depois do Senado não atender aos seus pedidos de ajuda, a rainha Amidala exigiu um voto de confiança na liderança do Supremo Chanceler Valorum, antes de voltar a Naboo, onde ela liderou com sucesso uma revolta contra a ocupação da Federação do Comércio. Durante esta batalha, o misterioso atacante de Qui-Gon Jinn reapareceu, e o assassinou com sucesso, apesar de o atacante por sua vez ser derrotado em seguida por Obi-Wan Kenobi. Tornou-se óbvio para Yoda e outros no Conselho que os Sith tinham realmente voltado, no entanto, não estava claro se o atacante que Kenobi "matou" era o Mestre Sith ou seu aprendiz.

Na sequência do apelo do Amidala para um voto de confiança na liderança de Valorum do Senado, o próprio senador de Naboo, Palpatine, foi eleito o novo Supremo Chanceler da República Galáctica. Além disso, o Conselho Jedi atendeu ao desejo de Obi-Wan, que agora era um Cavaleiro Jedi, de dar permissão para ele treinar Anakin Skywalker como um Jedi. Yoda expressou sua desaprovação da decisão do Conselho, mas relutantemente cedeu quando soube que Obi-Wan estava disposto até mesmo de ir contra a decisão do Conselho, se isso significava cumprir o último desejo de seu mestre Qui-Gon.

Crise Separatista (24 ABY - 22 ABY)



Estimulado pelo fracasso do Senado em votar o Ato de Reforma Financeira, muitos planetas, sistemas e empresas começaram a retirar-se da República. Além disso, e particularmente preocupante para Yoda especialmente, foi que o ex-Jedi desiludido Conde Dooku, que já sido aprendiz de Yoda, era a voz de liderança entre os separatistas.

Tentativas de assassinato da Senadora Padmé Amidala



Vários membros do Senado requisitaram a Lei de Criação Militar, o que permitiria o Supremo Chanceler Palpatine em criar um exército para a República.

O líder da oposição contra este ato foi a Senadora Padmé Amidala, ex-rainha de Naboo. Quando chegou a hora de votar sobre o ato, Amidala viajou para Coruscant, e na sua chegada ocorreu uma tentativa contra sua vida, mas ela sobreviveu.
O Conselho Jedi, perturbado com isso, colocou o Cavaleiro Jedi Obi-Wan Kenobi e seu aprendiz, Anakin Skywalker, no comando da segurança da senadora. Após uma segunda tentativa contra a vida de Amidala, Kenobi e Skywalker capturaram a caçadora de recompensas responsável. Só que ela foi morta por um segundo caçador de recompensas, através da utilização de um dardo tóxico, durante seu interrogatório.
O Conselho mandou que Kenobi segui-se o segundo caçador de recompensas, enquanto Skywalker levava Amidala para a segurança de sua terra natal. Yoda ajudou a Kenobi a descobrir o mistério por trás do planeta Kamino que faltava nos arquivos, pois o Cavaleiro Jedi havia traçado as origens do dardo tóxico a esse planeta, e Yoda determinou que os arquivos haviam sido apagados do Arquivo Jedi para um propósito desconhecido. Ainda mais perturbador, apenas um Jedi seria capaz de apagar os arquivos.

Exército Clone



Ao viajar para Kamino, Obi-Wan Kenobi descobriu que um enorme exército de clones estava sendo criado, aparentemente, sob as ordens do falecido Mestre Jedi Sifo-Dyas (assim como Dookan teve seu nome trocado na versão em português, Sifo-Dayas teve seu nome trocado por Zaifo-Vias). Kenobi reportou este fato aos Mestres Mace Windu e Yoda, e aos outros altos membros do Conselho, que não tinha conhecimento de um exército de clones. Obi-Wan tinha certeza de que o modelo do exército clone, um caçador de recompensas chamado Jango Fett, era o mesmo caçador de recompensas que tinha sido envolvido nos atentados contra a vida da senadora Amidala.
Enquanto espera por um relatório de Kenobi, Yoda meditou e ouviu a voz do espírito de Qui-Gon Jinn e sentiu que algo tinha acontecido com Anakin. Ele conversou com Windu que o jovem Padawan estava com "dor. terrível dor".

Kenobi rastreou Fett até Geonosis, apenas para ser capturado em seu relatório, que detalhava sua descoberta de que o Conde Dooku tinha formado uma aliança de corporações poderosas para uma Confederação de Sistemas Independentes. Isso fez com que o Senado concedesse poderes de emergência ao chanceler, com a qual autorizou a criação do Grande Exército da República, enquanto isso a Senadora Amidala e Anakin Skywalker tentam resgatar Kenobi, apenas para serem capturados. Em resposta, Mestre Windu formou uma equipa de ataque para resgatar o trio capturado, enquanto Yoda foi para Kamino, na tentativa de descobrir a verdade sobre o exército de clones, e para também trazer algumas dessas tropas para Geonosis.

Guerras Clônicas (22 ABY - 19 ABY)



Batalha de Geonosis



Yoda enfrenta seu ex- aluno, Conde Dooku, em Geonosis.
Windu e os Jedi foram confrontados por um enorme exército de dróides, sob o comando do Conde Dooku, e depois de uma dura batalha, apenas um punhado de Jedi sobreviveram, quando Yoda chega com um contingente do novo exército clone. Yoda comanda as forças da República, antes de sentir uma perturbação na força.
Mestre Yoda chega então a um hangar para enfrentar Dooku, depois de Dooku ter ferido gravemente Skywalker e Obi-Wan. Depois de desviar dos poderes da Força de Dookan, entre os quais relâmpagos da Força, Yoda percebeu que Dooku tinha virado para o lado negro da Força, tornando-se um Lorde Sith. Um duelo de sabres de luz começou entre os dois e Yoda estava pra derrotar Dooku, no entanto, o Lorde Sith usado a força soltou um pilar sobre Obi-Wan e Anakin. Yoda tinha de se concentrar em para a construção maciça antes que esmagasse os dois Jedi, se aproveitando disso Dooku fugiu.

Embora a República tenha vencido a primeira batalha de Geonosis sob a direção de Yoda, muitos Jedi foram mortos. Mais importante, os mil anos de paz que existia desde a Sétima Batalha de Ruusan tinha terminado. Yoda sentiu que as Guerras Clônicas seria um período longo e tumultuado, tanto para a República e da própria Ordem Jedi, e de fato eram, sacudindo a galáxia à sua essência. Durante as Guerras Clônicas, Yoda, junto com muitos outros Mestres Jedi, foi forçado a lutar em várias batalhas para a República em mundos por toda a galáxia.

Linha de frente nas Guerras Clônicas



No início do conflito, Yoda liderou as tropas clones na batalha de Axion. Neste mundo contestado, ele salvou a vida do Comandante Brolis. Na época da Batalha de Muunilinst , Yoda veio para resgatar as Jedi Luminara Unduli e Barriss Offee, com a ajuda da Senadora Padmé Amidala de Naboo. Yoda sentiu que Unduli e Offee estavam em perigo através da Força, e durante sua missão de resgate destruiu dezenas de camaleão droids, antes de resgatar as duas. Em Ilum, Yoda descobriu que a traição de Dooku eram mais profunda do que ele tinha acreditado, para a ex-Mestre Jedi ordenou o ataque ao templo.

Yoda havia perdido seu antigo Padawan para o lado negro antes do início da guerra, mas durante o conflito Yoda perdeu outro bom amigo. O Rei Alaric de Thustra estava planejando levar seu planeta natal para a Confederação, embora ele tenha a intenção de se juntar à República antes de testemunhar a corrupção da república, levando ele a abandonar a república. Yoda viajou para Thustra para falar com Alaric, mas seu velho amigo estava decidido e, eventualmente, o seu mundo tornou-se envolvido em uma batalha. Recusando-se a enfrentar a derrota de seu mundo, Alaric atirou com um blaster em Yoda, sabendo que seu amigo seria forçado a se defender. Deixado sem escolha, Yoda desviou o tiro no corpo do rei. Yoda lamentou a morte de seu amigo, mas o mais preocupante foi assim mesmo que ele tinha sido forçado a tirar o sabre em batalha, e temia que ele teria que fazer novamente em muitas batalhas por vir.

O Grão-Mestre Jedi supervisionou muitas missões do Templo Jedi, bem como, supervisionou vários relatórios de inteligência e trabalhou com o Conselho para determinar qual a forma de agir. Ele aprendeu através de Obi-Wan Kenobi que Dexter Jettster era um informante de confiança, e logo aprendeu a confiar na Bail Organa após o senador revelar informações de um até então desconhecido planeta Sith chamado Zigoola . Kenobi e Organa logo partiram para acabar com o planeta, e Yoda e Mace Windu meditando deram seu apoio de longe, sentindo a conclusão de sua missão e apelando para Padmé Amidala mais uma vez ir em resgate de Organa e Kenobi.

Quando a República foi contatada pelo senhor do crime Jabba o Hutt, sobre o desaparecimento de seu filho, Rotta, e ofereceu o uso das rotas Hiper-Espaciais Hutts, caso a República resgatasse seu filho, para a missão foram Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker. Yoda enviou a Padawan Ahsoka Tano, para informar aos dois Jedi de sua nova missão, e além disso, designou Ahsoka como Padawan de Skywalker. O trio finalmente conseguiu resgatar o filho de Jabba, permitindo que a República pudesse fazer uso das rotas Hiper-Espaciais Hutt que antes era desconhecidas, uma vantagem que a Confederação não tinha.

Rugosa



Pouco depois, Yoda foi selecionado para liderar as relações diplomáticas com o Rei de Toydarian, Katuunko, pois a República queria construir uma base no seu sistema para combater ao avanço da Confederação nos Territórios da Orla Exterior. No entanto, a Confederação interceptado as comunicações entre o rei e a República, na esperança de fazer descarrilar as negociações, o líder separatista Conde Dooku envia sua aprendiz Asajj Ventress para a lua neutra de Rugosa onde as negociações foram programadas para ocorrer. Quando o nave de guerra do Mestre Yoda chega a Rugosa, ele foi imediatamente atacado por vários cruzadores separatistas. No entanto, Yoda se recusava a ser dissuadido, e escapou do frenesi na cápsula de escape, juntamente com três soldados clones, e pousou em segurança na superfície da lua.
Uma vez desembarcando na lua, o Grão-Mestre Jedi contatou Katuunko, e depois de se tornar consciente da presença de Ventress, concordou em uma aposta, aonde Yoda devia derrotar as melhores tropas de Ventress, caso Yoda tivesse sucesso, Toydaria se uniria a República, no entanto, se as forças de Ventress derrotasem Yoda, o rei iria aliar seu sistema com a Confederação. Katuunko insistiu com Ventress que garantisse uma luta justa, ao que ela concordou. Depois de voltar para sua base, Ventress contatou Dooku e afirmou que suas forças estavam sendo enviadas. Ela não tinha a intenção que Yoda tivesse uma luta justa e despachou o recém promovido droid 224, com a tarefa de liderar as forças droids, e emboscassem a equipe diplomática da República. Liderados por 224 em seu tanque de assalto Armored, as forças confederadas avançaram para a selva. Yoda e seus homens fizeram o seu caminho para a posição de encontro em um caminho diferente, como o Mestre Jedi estava certo de que seus inimigos já estavam indo em direção a eles. Os dróides começaram a passar pelo coral da selva, mas a densa vegetação impediu que os tanques pudessem avançar.

Yoda e os clones se separaram. Os clones avistaram um esquadrão de dróides de batalha B1 no sul e conseguiram derrotá-los, mas super dróides de batalha B2 passaram a atacar os clones, e os três foram obrigados a fugir. Yoda, entretanto, foi capaz de derrotar um esquadrão inteiro de droids por conta própria, mesmo sem usar o seu sabre de luz. CC-4477 foi atingido por um foguete disparado por um Super Droid de batalha e foi ferido na perna. Yoda apareceu e ajudou os clones. Droidekas logo apareceram, e as forças da República fugiram. Yoda, agarrando-se nas costas do CC-4477, desviou os lasers, fazendo com que os droids para ser esmagado e os quatro fugiram para uma caverna para descansar. Os clones viram que eles tinha pouca munição, mas o Mestre Jedi usou sua sabedoria para inspirar ainda mais os esforços dos soldados clones.
Depois de ouvir os sons dos droids se aproximando ao longe, Yoda e os clones sairam da caverna. O Jedi e os seus homens chegaram em um cume pra observar os droids avançando abaixo, que estavam passando por um caminho estreito. Yoda deixou os clones no cume e enfrentou três tanques e um grande número de droids sozinho. O Mestre Jedi destruiu todos eles, juntamente com 224, divertindo o Rei Katuunko e deixando Ventress cheia de raiva. No entanto, Ventress não desistiria facilmente, a Aprendiz de Dooku quebrou os termos do acordo e enviou secretamente vários droidekas para lidar com o Mestre Jedi. Quando Yoda destruiu o último tanque da Confederação, os droidekas chegaram, e o Mestre Jedi começou a bloquear os seus ataques de laser. CC-4477 lançou o último dos foguetes contra uma rocha saliente acima, causando uma avalanche para esmagar os droids. Yoda, em seguida, levou os clones ao ponto de encontro.

Katuunko se divertiu com a derrota dos droids. Através de uma holo transmissão, o rei informou a Dooku que um Jedi não valia cem dróides de batalha, mas sim uns mil dróides, e afirmou que ele iria se juntar à República. O conde pediu para o Rei reconsiderar, mas o Rei Toydarian recusou-se a se aliar com aqueles que quebram suas promessas, como Ventress tinha quebrado os termos da competição. Vendo que seu plano havia falhado, Dookan ordenou Ventress para matar o rei, acreditando que as negociações possam ser melhores com o seu sucessor. Os guardas de Katuunko tentam parar Venress, mas Ventress usa a força para empurra-los pro lado. Quando Ventress ataca o rei com seus sabres de luz, viu-se confrontado por Yoda, tendo chegado a tempo de salvar o rei.

Yoda usou a força para parar Ventress antes que seu golpe mortal possa atingir o Rei. Como os dróides que escoltavam Ventress foram destruídos pelos clones, Yoda desarma Ventress, e depois de examinar seus sabres de luz, o Jedi os devolve a ela, tendo comprovado que eles eram inúteis contra sua telecinese, ao comentar que ela ainda tinha muito a aprender. Ventress estava em desvantagem, e Yoda sugeriu que ela se rendesse. Para escapar, Ventress detona explosivos pré-plantados que causam o desabamento da encosta. Yoda foi forçado a parar o ataque telecinetico pra evitar que as rochas esmagassem todos eles, e quando ele fez isso, Ventress aproveitou a oportunidade e fugiu para a sua nave. Dooku, observando o desenrolar dos acontecimentos através da holoprojetor, comentou ser uma pena que ele não estava ali mesmo.
Sem a ameaça da Confederação, Yoda era capaz de entrar em negociações com Katuunko. O rei afirmou que as discussões eram desnecessárias, visto que o Jedi já tinha provado o seu valor. Katuunko apresentou sua espada cerimonial para Yoda e lhe confiou a proteção de seu planeta, enquanto prometeu o apoio da Toydaria à República, declarando que Seria uma honra lutar ao seu lado.

Malevolência



Após o surgimento de uma super arma separatista misterioso, que tinha emboscado várias frotas da República e não deixou nenhum sobrevivente, Yoda e o Conselho enviou o Mestre Jedi Plo Koon, para rastrear a ameaça desconhecida. Depois de Mestre Koon descobriu a arma, entrou em contato com o general Jedi no sistema mais próximo a ele, Anakin Skywalker. No entanto, durante a transmissão, a República perdeu o contato com sua frota. Mestre Yoda, Windu e Obi-Wan, em conjunto com o Supremo Chanceler Palpatine, concordaram que o envio de uma força-tarefa para procurar sobreviventes do último ataque seria arriscado, no entanto, Skywalker desobedeceu as ordens, e através de conexão exclusiva sua Padawan Ahsoka através da Força com o Mestre Koon, conseguiu resgatar o Mestre Jedi e seus poucos soldados restantes. Com o Mestre Koon vivo para informar sobre a natureza da arma separatista, foi revelado à República que os separatistas tinham adquirido gigantes canhões de íon capaz de desativar qualquer frota.

Felizmente, um plano elaborado por Skywalker provou ser capaz de destruir a Malevolência, e mais tarde, durante uma missão para resgatar a cativa Senadora Amidala de Naboo, a nave de guerra gigante foi destruída e assim liberando a República do perigo que representava.

Captura de Gunray



Pouco tempo depois, a senadora Amidala capturou com sucesso importante líder separatista Nute Gunray em Rodia . O Conselho então enviou a Mestre Jedi Luminara Unduli e a Padawan Ahsoka Tano para escoltar o vice-rei para Coruscant, onde ele iria enfrentar um julgamento por crimes de guerra. Enquanto escoltava o vice-rei, a Mestre Luminara o interrogou, na esperança de descobrir importantes segredos separatistas.
Infelizmente, a nave da Mestre Luminara sofreu um ataque Separatista e foi abordado por um grande número de dróides. Embora a Mestre Luminara conseguiu derrotar os droids, ela não estava preparada para o maior adversário que havia se infiltrado na sua nave: Asajj Ventress. Ventress duelou tanto com a Mestre Luminara como com a Padawan Ahsoka Tano, mantendo-os ocupadas, enquanto seu aliado secreto, o capitão do Comando do Senado Argyus Faro traiu seus companheiros e resgatou Gunray. Depois de receber a notícia disto, Ventress escapou das Jedi, que foram deixados para explicar a catástrofe ao Mestre Yoda.

Yoda ficou particularmente perturbado pela traição de Argyus, ele sentiu que os inimigos da República estavam por toda parte. No entanto, ele apoiou a proposta da Mestre Luminara e do Mestre Kit Fisto um plano para recapturar Gunray, sua nave de fuga tinha sido rastreada.
Fisto ao invés de recapturar Gunray, foi forçado a duelar com o General Grievous e assistiu seu ex-Padawan, Nahdar Vebb, morrer nas mãos do cyborg. Depois que ele escapou, Fisto informou ao Conselho nas pessoas de Mace Windu e Yoda o ocorrido. Yoda lamentou que a morte de Vebb foi em grande parte o resultado de sua própria arrogância e temia que na guerra que havia o perigo de Jedi perder a essência de quem eles eram.

Holocron roubado



" Mestre Yoda, o que ouve? "
" Um distúrbio na força. Invasores nós teremos, neste Templo. "
- Cavaleiro Jedi Anakin Skywalker e o Grão-Mestre Yoda.

Após a primeira batalha de Felucia, Mestre Yoda presidiu uma reunião do Conselho Jedi, que ouviu que a Padawan Ahsoka Tano se recusou a cumprir as ordens dadas a ela por seu superior, o Mestre Jedi Obi-Wan Kenobi. Como castigo por suas ações, Ahsoka foi designada como uma guarda do Arquivo Jedi, a fim de passar um tempo longe do campo de batalha.
Mais tarde, ao discutir o impacto da derrota em Felucia com o Mestre Kenobi e o Cavaleiro Jedi Anakin Skywalker, Yoda sentiu um distúrbio na Força, que lhe revelou que intrusos estavam planejando se infiltrar no Templo Jedi. Kenobi e Skywalker deduziram erradamente que os invasores tentariam roubar os códigos de transmissão Jedi, e como tal, concentraram seus esforços em garantir a segurança dos códigos. Yoda mais tarde percebeu a chegada dos intrusos e sugeriu a Kenobi e Skywalker que seus inimigos podiam dirigir-se ao centro de comunicação do Templo Jedi. O Grão-Mestre, em seguida, encontrou lá com mestre Mace Windu, Kit Fisto e Aayla Secura depois de ter colocado o Templo em alerta máximo.

Como Kenobi e Skywalker seguiu os intrusos através do sistema de ventilação do Templo, Mestre Yoda deduziu que era provável que os invasores estavam recebendo assistência de dentro do templo, considerando a sua capacidade de evitar os dois Jedi na fuga deles. Como tal, o Mestre diminutivo contactou Ahsoka Tano e advertiu-lhe que ele sentiu que havia alguém no Arquivos se passando por um Jedi. Felizmente, Tano foi capaz de subjugar o impostor, uma Clawdite caçadora de recompensas chamada Cato Parasitti, que havia personificado a Mestre Jocasta Nu e passava ao seu empregador Cad Bane informações dos Arquivos Jedi.
Infelizmente, o esquema de Bane foi capaz de manter os Jedi longe o suficiente para ele invadir a Câmara Holocron e roubar um holocron Jedi como ordenado pelo Lorde Sith Darth Sidious. No entanto, Parasitti revelou aos Jedi que o próximo alvo de Bane foi o Mestre Jedi Bolla Ropal. Isso permitiu que o Jedi deduzisse que Bane foi atrás do cristal de memória Kyber, que quando combinado com um holocron revelaria uma lista todas as crianças sensitivas a Força na galáxia, o futuro da Ordem Jedi.

Anakin Skywalker e Tano vão procurar Ropal no sistema Devaron, ao chegar a frota de Anakin Skywalker impede a frota separatista de ajudar o caçador de recompensas Cad Bane. Infelizmente, soldados clones dizem a Skywalker que Bane já havia capturado o Mestre Jedi Bolla Ropal e o cristal de memória Kyber. Tomado como refém em uma fragata estelar classe Munificent, Ropal é preso em correntes da energia. Enquanto na ponte da fragata, Bane ordena os dróides para se prepararem para saltar para o hiperespaço. No entanto, sua nave foi vista pela tripulação a bordo do destróier estelar classe Venator de Skywalker, Resoluta. A tripulação atira na fragata de Bane, incendiando seus hiperpropulsores. O Capitão CT-7567, Skywalker e sua Padawan, Ahsoka Tano, criam um plano para se infiltrar na fragata com três AT-TEs fornecendo fogo de apoio.

Enquanto isso, Bane tortura Ropal, e obriga-o a abrir o holocron roubado, no entanto, Ropal se recusa. Bane diz aos dróides para aumentar a potência da corrente de energia, que eletrocuta Ropal à sua morte. Na necessidade de um outro Jedi para abrir seu holocron roubado, Bane retorna para a ponte e avista Skywalker, Tano, e os seus clones preparando para embarcar em sua fragata através de uma tela. O vice-rei da Federação de Comércio Nute Gunray contata Bane via comunicador, e está irritado com Bane por perder quatro de suas naves e exige o reembolso, no entanto, Bane promete que Darth Sidious irá compensar tudo uma vez que o holocron esteja desbloqueado, e diz ao vice-rei sobre os dois Jedi que estavam prestes a se infiltrar na sua fragata. Antes de deixar a ponte, Bane ordena os dróides para limpar os dados de navegação, preparar a auto-destruição e transferir funções da nave para a sua luva no pulso. Skywalker, Tano, e os clones invadem a ponte e destroem vários dróides de batalha B-1 lá. R2-D2 acessa o computador da nave para localizar Ropal.

O grupo, então, faz o seu caminho para o bloco de detenção da fragata, e Tano encontra Roppal morto dentro de uma sala. Uma explosão na fragata de Bane ecoa pela nave, e o almirante Wullf Yularen, que está a bordo da Resoluta , aconselha o grupo da República a ficar atento. Em breve, as luzes se apagam, forçando os clones a alternar para o modo de visão noturna em seus capacetes. A seguir, o esquadrão vê Bane correndo, e eles o seguem o perseguindo até a sala de artilharia. Bane ordena seus dróides de batalha eliminar os Jedi, e desliga a gravidade artificial. Tano ordena R2-D2 reativar a gravidade. Atacando o caçador de recompensas, Skywalker chuta o holocron fora das mãos de Bane, mas antes que ele possa agarrá-lo, R2 reativa a gravidade, e Bane recupera o holocron no chão. Em retaliação, Tano persegue o Bane em fuga, apesar dos avisos de seu Mestre. Skywalker tenta cortar uma porta blindada fechada para resgatar Tano, no entanto, um dróide escorrega e atira em uma bateria de um canhão Flak, o que provoca uma explosão.

Em um corredor sem saída, Tano e Bane lutam um contra o outro. Enquanto Tano derrota Bane no combate corpo-a-corpo, a Padawan tenta telecineticamente recuperar seu sabre de luz, embora Bane a engana. O caçador de recompensas agarra seu tornozelo e envia um choque elétrico paralisante nela, o que a torna inconsciente. Sentindo que seu Padawan está em perigo, Skywalker liberta-se dos escombros dentro da sala de artilharia, e ordens de CT-7567 e os clones para garantirem uma nave para eles dentro do hangar da fragata.

Colocando algemas de atordoamento, bem como, puxando as tranças de pérolas da Padawan, Bane torna Ahsoka refém, enquanto ele espera por Skywalker vir "resgatá-la". Imediatamente, Skywalker entra na sala, e Bane ameaça jogar Tano no espaço se ele não desbloquear o holocron roubado. Skywalker é forçado a ceder para salvar Tano. Uma vez que o holocron é desbloqueado, Bane insere o cristal. Skywalker, enfurecido, em seguida, convoca espontaneamente seu sabres de luz e o da Tano. Bane responde abrindo a escotilha e fugindo. Desesperado para salvar seu Padawan, Skywalker joga fragmento de um super dróide de batalha B-2, e fecha a escotilha. Bane contata Gunray para informá-lo de seu sucesso. Gunray pede-lhe para transmitir as informações para ele, no entanto, Bane diz que ele vai entregar pessoalmente a Sidious. No entanto, o seu transporte já foi tomada pelos clones. Em uma tentativa desesperada de capturar Bane, Skywalker corre por um corredor, embora Tano o convence a retornar ao CT-7567 e os clones dentro do hangar. Os jedi retornam, só para ver o clones segurando uma Nave de Transporte Classe Sheathipede.

No nível superior do hangar, os soldados Denal e Koho ​​envolvem Bane em um duelo, no entanto, o caçador de recompensas derrota os dois clones e se esconde na armadura do Denal. Ao perceber que Bane poderia estar morto, Tano deseja recuperar o holocron, embora Skywalker afirma que não havia tempo para fazê-lo. Bane, que está vestindo a armadura do Denal, entra na nave de Skywalker. Depois de deixar a fragata, Skywalker afirma que, apesar de eles viram Bane morrer, ele ainda sente Bane através da Força. Quando eles retornam para a Resoluta, Tano se desculpa com seu mestre por deixar Bane obter o melhor dela, no entanto, Anakin corrige ela, e diz que o fracasso da missão foi culpa dele "do início ao fim".

Mais tarde, Yoda leva o Windu, Kenobi e Skywalker em usar a Força para identificar as crianças que foram alvo de Bane. Yoda sentiu que uma criança na Rodia estava em perigo, bem como uma em Naboo. Infelizmente, Kenobi se mostrou incapaz de impedir que Bane de capturar o Rodian, no entanto, Skywalker e sua Padawan conseguiu capturar Bane quando ele se aventurou a Naboo.

Kenobi e Mestre Windu então usado Bane para realocar o holocron roubado, embora o caçador de recompensas acaba em escapar no processo. No entanto, mesmo sem Bane, Skywalker e sua Padawan consegue descobrir a instalação secreta em Mustafar, onde as crianças capturadas estavam escondidas, e finalmente, resgatam elas.

Savage Opress



Yoda e Mace Windu viriam a mostrar a Obi-Wan Kenobi imagens de um recente massacre em Devaron, em que o Mestre Jedi Halsey e seu Padawan Knox foram brutalmente assassinados por um assassino desconhecido. Quando o filme foi mostrado para Kenobi, ele ficou perplexo pois ele acreditava que ele tinha matado o Lorde Sith Darth Maul, mas Yoda salientou que esse era uma criatura da mesma espécie de Dathomir. Yoda deu a Kenobi a tarefa de ir a Dathomir para encontrar e derrotar esta ameaça.

Vjun



Perto do fim da guerra, Yoda viajou para o planeta Vjun depois de receber uma comunicação do Conde Dooku, afirmando sua intenção de desertar. Apesar de Yoda estava bem ciente da traição de Dooku, ele não poderia ajudar, mas esperava que o apelo do Conde fosse sincero, e que seu ex-aluno estivesse tentando encontrar seu caminho de casa.

Tomando os Mestres Jedi Maks Leem, Jai Maruk e sua Padawans Whie Malreaux e Tallisibeth Enwandung-Esterhazy, Yoda viajou secretamente para Vjun. No entanto, ao longo do caminho, Asajj Ventress rastreou e capturou o quarteto, e desencadeou novos andróides assassinos. Matando Leem e Maruk, Ventress tentou destruir a estação espacial para matar Yoda. Yoda conseguiu escapar. Yoda encontrou com Dooku em Château Malreaux, e confrontou o Lorde Sith sobre sua escolha para se juntar ao lado negro. Dooku tentou converter Yoda, mas o Mestre Jedi facilmente deixou de lado as promessas ocas de Dooku. Em vez disso, Yoda tentou convencer Dooku em retornar à Ordem Jedi, e parecia que suas palavras tiveram um efeito profundo em Dookan. A intervenção inesperada de Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker no entanto forçou a Yoda a um segundo duelo com o Conde. Tanto Yoda como Dooku sobreviveram, mas cada um deixou o confronto com muito em suas mentes.

Batalha de Coruscant



Durante a Batalha de Coruscant , Yoda apoiou as forças do Capitão Fordo com uma exibição deslumbrante de combate de sabre de luz. Ele continuou a lutar, lado a lado com Mace Windu.

Apesar de seus esforços, os Jedi foram incapazes de evitar a captura do Supremo Chanceler Palpatine pelo general Grievous, porém Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi mais tarde resgataram e no processo Anakin matou Dooku. Com suas esperanças de converter seu ex-aluno de volta para a luz frustradas, Yoda definiu seu foco em rastrear o último Lorde Sith, apesar das altas tensões entre o Alto Conselho Jedi e o Gabinete do Supremo Chanceler.
Em 19 ABY, o Supremo Chanceler Palpatine nomeou Anakin como seu representante no Conselho Jedi. Mais uma vez, o Conselho foi hesitante sobre o temperamento de Skywalker, mas, por sua vez, concordaram com o pedido. Yoda mais uma vez desempenhou um papel importante na ascensão do jovem Jedi na ordem, com o Conselho negando a Anakin o posto de Mestre Jedi. Durante essa discussão, os clones informaram que os Wookiees estavam sob ataque e Yoda decidiu se aventurar a Kashyyyk para ajudá-los.

Invasão de Kashyyyk



Yoda observando a Batalha de Kashyyyk
Yoda era muito hábil na técnica de meditação de batalha e usou essa técnica durante a Batalha de Kashyyyk, auxiliando os Wookiees e os clones a como lutar contra o exército Separatista.
Enquanto Yoda estava em Kashyyyk, Palpatine, agora revelado como Darth Sidious, ordenou que os clones executassem a Ordem 66, o que significava o extermínio de todos os Jedi. Yoda sentiu seus irmãos Jedi sendo morto em toda a galáxia e chegando à única conclusão lógica para tantas mortes simultâneas de seus companheiros Jedi, ele percebeu de repente, em um momento horrível, que os clones foram os responsáveis. Pior de tudo, antes que do ataque começar, ele sentiu a ascensão de Anakin Skywalker como novo aprendiz de Sidious, Darth Vader. Apesar de estar cheio de dor, ele foi capaz de decapitar o Comandante Gree e seu assistente com um único golpe antes deles tentarem assassiná-lo. Com a ajuda dos Wookiees Chewbacca e o chefe de batalha Wookiee Tarfful, tanto Yoda como seu companheiro Jedi Quinlan Vos sobreviveram e Yoda conseguiu escapar para encontrar-se com outro Mestre Jedi sobrevivente, Obi-Wan Kenobi, e o Senador Bail Organa de Alderaan.

Revelação Negra



Yoda e Obi-Wan, foram para o Templo Jedi para que pudessem reconfigurar o sinal que chamava os Jedi sobreviventes de volta para Coruscant para caírem em uma armadilha. Eles desativado o sinal após o combate com vários clones, e viram o templo cheio de corpos de Jedi caídos, incluindo Padawans, que tinham sido abatidos com um sabre de luz.

Yoda Luta contra os Soldados Clones a caminho do Templo Jedi
Após Kenobi terminar de recalibrar o sinal codificado, ele sentiu que devia saber quem foi o responsável pelo ataque. Yoda, sabendo que a revelação do ida de Anakin para o lado negro iria causar dor em Kenobi, advertiu a ele que não ativasse as gravações de segurança. Enquanto observavam, eles descobrem que Palpatine é na verdade o Lord Sith e que a República foi transformada em um Império Galáctico. Eles concordaram que os dois Lordes Sith deve ser destruído. Yoda permaneceria em Coruscant para confrontar o recém-coroado Imperador Palpatine, no edifício do Senado, enquanto um Kenobi profundamente relutante lutaria contra seu ex-aprendiz.

Duelo no Senado



"Eu esperei um longo tempo por este momento, meu pequeno amiguinho verde ... finalmente os Jedi não existem mais. "
" Não enquanto para isso negar eu aqui estiver! [...] No fim seu império estar, e não breve o suficiente ele foi. "
-Palpatine e Yoda [fonte]

Enquanto Palpatine espera por notícias de seu aprendiz, Yoda entra no escritório. Rapidamente derrota os guardas de Sidious por usar a Forca empurrando-os contra a parede, Yoda confronta Palpatine, que parece surpreso com a sua sobrevivência e ataca Yoda com relâmpago da força. Seu desgosto logo se transformou em prazer quando ele percebeu que seu desejo de lutar contra o Grão-Mestre Jedi tinha se tornado realidade. Yoda rapidamente revida com um empurrão da força que enviou o Lorde Sith através de seu escritório até a sua cadeira. Quando Palpatine tenta fugir, Yoda pula na frente dele e tira seu sabre de luz. Palpatine então chamou seu sabre de luz e assim começou o duelo.

Yoda sendo atacado pelo Imperador Palpatine com raios da força
Yoda e o Imperador Palpatine duelo até o Senado, onde os dois usuários da Força se envolvem em um duelo de sabre. A luta destrói a maior parte da Câmara do Senado com Palpatine tentando esmagar o Mestre Jedi usando a força empurrando as cabines dos senadores contra Yoda. Com o duelo prosseguindo, Yoda vai ficando mais fraco, enquanto o seu adversário, Darth Sidious, fica mais forte. Ele não podia manter-se por muito mais tempo contra o Lord Sombrio dos Sith e teve que tentar terminar o duelo rapidamente. Yoda confronta Palpatine mais uma vez e Palpatine projeta relâmpagos da Força em Yoda. O ataque arranca o sabre de luz da mão de Yoda, desarmando-o. Sidious quase derrota Yoda, mas o Mestre Jedi consegue pegar o raio e começar a moldá-lo. Durante a luta Yoda teve uma visão que rasgou o véu do lado negro, e ele foi capaz de ver um vislumbre do futuro. O que ele viu não era claro, mas uma coisa é certa, Yoda vislumbrou uma esperança para a galáxia e ele não podia correr o risco de morrer agora.
Yoda continuou a moldar o Lorde das Trevas Força relâmpago , até que, em uma explosão da Força, Yoda devolve o relâmpago à sua fonte. A explosão arremessa os dois, terminando a batalha. Ambos os mestres foram capazes de segurar a borda de uma cabine do Senado, com Sidious mal conseguindo endireitar-se. Yoda, no entanto, foi incapaz de manter suas mãos, e caiu para o chão da Câmara do Senado. Ele fugiu e escapou através de vários tubos de serviço, com o seu pequeno tamanho provando vantajoso neste momento, e reuniu-se com Bail Organa, que se apressou-o no seu speeder com Yoda refletindo sobre seu fracasso.

Exílio (19 ABY - 4 ABY)



"Para o exílio eu devo ir. Infeliz falha minha. "
-Yoda para Bail Organa

Yoda entrou em comunhão com o espírito de Qui-Gon Jinn, que aceitou a treinar Yoda em uma técnica segreda que tinha aprendido depois de sua morte. Após isso ele se reagrupou com Kenobi, que tinha derrotado mas não matado Vader. Kenobi trouxe com ele Amidala que estava gravemente ferida. Embora Amidala conseguisse dar a luz aos gêmeos, Luke e Leia, ela morreu logo depois. Yoda percebeu que os bebês eram fortes na Force.
Ao se reunir com Bail Organa e Obi-Wan Kenobi, ele decidi que Luke e Leia Skywalker devem ser escondidos de Darth Vader e do Imperador em locais insuspeitos. Somente ele, os Organas, os Lars e Kenobi saberia a localização delas. Ele também diria a Obi-Wan outro segredo, que o seu velho amigo, Mestre Qui-Gon Jinn, havia encontrado a maneira em manter a sua identidade após a morte, uma habilidade que ele ensinaria os dois. Yoda iria desempenhar um papel que ele não tinha tomado em séculos: A de um aprendiz.

Durante o Grande Purgo Jedi, Yoda entrou a bordo de uma nave automatizada que estava transportando grãos para os famintos habitantes do mundo ex-separatista de Sluis Van. A nave saiu brevemente do hiperespaço perto do planeta Dagobah. Despercebido e não sendo registrada, Yoda lançou sua cápsula de escape e pousou no planeta pântano. Ele iria gastar todo o seu exílio em Dagobah, desde o início dos Tempos Sombrios ao período inicial da Guerra Civil Galáctica.

Yoda fez sua casa perto do Caverna do Lado Negro, a qual, para além do enorme número de formas de vida (que mascaravam sua presença na força bruta), neutralizava a sua presença no lado da luz. A marca de Yoda na Força estava escondida dos sinistros agentes do Imperador. Além disso, Dagobah era um dos trinta e sete planetas apagados do Arquivos Jedi, garantindo ainda mais o seu anonimato.

Yoda tem uma visão de Darth Sidious na Caverna do Lado Negro.
Pouco depois, o Jedi Qu Rahn foi até Dagobah e aprendeu muitas habilidades com o velho mestre. Antes da Batalha de Hoth, Tash e Zak Arranda também iria encontrar Yoda.

Quando Starkiller, um clone do falecido aprendiz secreto de Darth Vader, viajou para Dagobah para meditar, ele descobriu a entrada da caverna. Antes de entrar, Starkiller encontrou Yoda, embora fosse alheio a identidade da criatura diminutiva. Apesar de seus comentários vagos, Yoda assegurou ao clone que seu caminho até a caverna e se aventurar dentro renderia algumas respostas para ele. Depois de Starkiller sair da caverna, Yoda disse a ele que ele tinha que seguir o seu destino, e o clone disse que iria seguir até os confins da galáxia.

Por esta altura, a recompensa por Yoda foi acrescida de 30 mil créditos pelo próprio Imperador Palpatine. Devido a várias tentativas de coletar a recompensa por meio de fraude, o Império teve de modificar as condições para que mais ninguém seria tentado a enganar o Império. Em primeiro lugar, o prêmio só foi bom para um sujeito vivo. Em segundo lugar, a pena de morte não é negociável foi anexada à generosidade e seria aplicada em qualquer um que tentasse cobrar a recompensa por entregar um "falso Yoda". O Império também usou o destino do caçador de recompensas Rurrk Ca'rivv para lembrar aos outros que as autoridades imperiais eram capazes de perceber a diferença entre um Mestre Jedi de idade avançada, e um Jawa morto despojado de suas roupas e cirurgicamente alterado, observando o cheiro como o primeiro e mais óbvio sinal. Pouco tempo depois, Yoda finalmente foi listado de um dos oito criminosos mais procurados do Império, ao lado da Princesa Leia Organa, O ex-senador Mon Calamari Meena lavra, e Obi-Wan Kenobi.

Em algum momento durante o seu exílio, o historiador da Aliança major Arhul Hextrophon descobriu o paradeiro de Yoda e viajou para Dagobah para encontrá-lo. Yoda originalmente decidiu a apagar a mente do historiador, mas no final decidiu contra ela, uma vez que não era o caminho Jedi causar dor e sofrimento, neste caso, através da perda de memória. Hextrophon fez um juramento de não revelar a existência de Yoda. Ele apagou os registros que o levaram a Yoda, em primeiro lugar, e além de manter registros em seu diário particular, e Yoda acreditou que ele manteria sua palavra.

O próximo Skywalker



Quando Luke Skywalker, filho de Anakin Skywalker, chegou em Dagobah, ele se reencontrou com Luke. No entanto, ele manteve sua verdadeira identidade para si mesmo, agindo como uma forma de vida primitiva como um meio para testar Luke, embora ele fez a promessa de levar Luke até Yoda. Ele também alertou a Luke a evitar a água pois havia muitos perigos nos pântanos de Dagobah. Após a chegada de Luke, na cabana, Luke expressou sua irritação em não ter encontrado Yoda ainda, fazendo com que Yoda expressasse suas dúvidas para o fantasma de Obi Wan Kenobi sobre se o treinamento de Luke era uma boa idéia. Yoda relutantemente concordou em treiná-lo nos caminhos da Força, depois de Luke perceber que a criatura era Yoda e se comprometer a treinar com ele, assim como o lembrete de Obi-Wan a Yoda que Obi-Wan também foi imprudente e impaciente quando era mais jovem. Ele expressou cautela, porém, como ele sentiu em Luke características semelhantes ao pai e julgou muito velho para treinamento. O experiente mestre Jedi resumiu o treinamento Jedi de Luke Skywalker para caber no tempo limitado que eles podiam ter. No entanto, antes de terminar sua instrução, Luke escolheu deixar Dagobah sem completar a sua formação, a fim de confrontar Darth Vader na Cidade das Nuvens e salvar seus amigos. Yoda e o espírito de Obi-Wan Kenobi tentaram convencê-lo a ficar, pensando que Luke não estava pronto para enfrentar nem Vader, nem a revelação que havia de vir. Skywalker prometeu voltar para completar a sua formação. Obi-Wan estava preocupado com essa decisão, dizendo a Yoda que Luke era sua última esperança. Yoda rapidamente lembrou a Kenobi que a esperança ainda permanecia na pessoa de Leia Organa, a irmã de Luke.

Morte



Quando Luke retornou um ano mais tarde, Yoda tinha ficado doente e fraco, e sabia que sua morte era iminente. Ele informou a Luke que seu treinamento estava completo, mas que seu teste final seria enfrentar Darth Vader. Ele confirmou que Darth Vader era seu pai verdadeiro, e repreendeu-o por sua imprudência lutando com Vader na Cidade das Nuvens. Ele também disse a Luke que não se devia subestimar Palpatine, e que a força é muito forte dentro da família de Luke. Com seus últimos suspiros, Yoda se esforçou para dizer a Luke suas palavras finais que havia outro Skywalker.

Luke ver os espectros de Yoda, Obi-Wan e de seu pai redimido
Yoda então morreu e se tornou um com a Força. Palpatine acabou descobrindo a morte de Yoda sondando a mente de Luke, quando ele foi trazido a bordo da segunda Estrela da Morte, apesar de que Palpatine não demonstrou qualquer emoção após a descoberta. Na celebração após a Batalha de Endor, Luke viria os espectros de Yoda, Obi-Wan, e seu pai redimido.

Legado



Sem dúvida, Yoda foi um dos usuários da Força mais talentosos da história da Ordem Jedi, mas além de seu domínio da Força, seus atributos mais visíveis eram a liderança e uma vida útil muito longa. Com quase um milênio de vida, Yoda foi capaz de estabelecer-se como o mais venerado mestre Jedi ao longo de toda a ordem. Como o atual Grão-Mestre por muitos séculos, Yoda tinha essencialmente se tornou a "cara" dos Jedi. Como Etain Tur-Mukan meditou, "Yoda foi a Ordem Jedi" em si, o que torna impossível a criticá-lo sem soar blasfêmia.
Ironicamente, a este respeito, Yoda tinha mais em comum com o seu adversário Sith, Palpatine (Darth Sidious) que ele percebeu. Como Chanceler, Palpatine foi considerado como o líder vital e infalível da República Galáctica, como também era mestre Yoda o líder vital e infalível da Ordem Jedi. Assim, nem Yoda ou Palpatine poderia ser criticado sem seus críticos serem automaticamente desacreditados e vistos com desconfiança.

Após sua morte, com a idade de 900 anos de idade, Yoda manteve sua individualidade na Force. Como um chamado fantasma da Força, ele iria olhar para baixo sobre Léia e os gêmeos Solo, quando eles nasceram. Seus ensinamentos se tornaria a base para o que Luke ensinou a Nova Ordem Jedi. Como os ensinamentos de Yoda para Luke foram dado às pressas, a maioria dos ensinamentos da Ordem Jedi foram perdidas até que a Nova Ordem Jedi começasse a encontrar holocrons antigos, ou, em alguns casos, as bibliotecas como o da Ossus.
Citar
         
Relacionamentos
N'Kata Del Gormo (Mestre)
Qui-Gon Jinn (mestre em Fantasma da Força)
Luke Skywalker (Aprendiz)
Rahm Kota (Aprendiz)
Dooku (Aprendiz)
Oppo Rancisis (Aprendiz)
Tyvokka (Aprendiz)
Cin Drallig (Aprendiz)
Ki-Adi-Mundi (Aprendiz)
Mace Windu (Aprendiz)
Criado por
George Walton Lucas Jr.

Avaliação dos Usuários Para Yoda (Star Wars)
Ajude a comunidade a crescer avaliando a qualidade deste artigo!
Avaliação Média :
  • 4 Votos - 5 Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Total de Votos : 4

Comentários dos Usuários Sobre Yoda (Star Wars)
Offline Arish Reina - 11-06-2013, 09:48 AM
Resposta: #2
Mais um do Felipe.... bem completo.
WWW Buscar Citar
Offline Wolv - 11-06-2013, 04:04 PM
Resposta: #3
grande Mestre Yoda... até quem nunca viu star wars conhece ele, tal qual darth vader paizão.

muito bom o post.
WWW Buscar Citar



Tópicos Similares
Tópico: Autor Respostas: Visualizações: Última Resposta
  Nute Gunray (Star Wars) felipe.fp 2 4,138 27-11-2015 06:05 AM
Última Resposta: qqwwee1115
  Durge (Star Wars) felipe.fp 1 8,031 25-11-2015 04:24 AM
Última Resposta: felipe.fp
  Mace Windu (Star Wars) felipe.fp 3 5,190 04-06-2013 04:47 PM
Última Resposta: Ollie Queen

Ir ao Fórum:

© 2007-2012 SoQuadrinhos

Página desenvolvida por Knight Rider